TURISMO-SA
City Break Facebook Instagram Twitter Youtube
HOTELARIA

Semana Santa na Toscana no Hotel Laticastelli Country Relais




Entrada - Laticastelli Country Relais

Laticastelli é hospedagem estratégica para quem quer acompanhar as celebrações da Semana Santa na Toscana

Hotel, a meia hora de carro de Siena, propicia fácil acesso a várias cidades que oferecem procissões, missas e encenações que celebram a data

Mais do que um feriado prolongado que culmina na degustação de ovos de chocolate, a Páscoa é, para os italianos, uma celebração especial. No país cuja cultura está profundamente ligada ao catolicismo, a festividade, diferentemente do Brasil, se estende por cinco dias – começa na quinta-feira (13 de abril), quando as igrejas realizam o ritual de lava-pés, e segue até segunda (17 de abril), a chamada lunedi dell’angelo (segunda-feira do anjo), dia em que se comemora o encontro do anjo com Maria Madalena no sepulcro.


Chiesa di San frediano - Crédito: Gino Cianci M

De norte ao sul do país, as paróquias e suas belas igrejas honram os últimos dias de vida e a ressurreição de Cristo das mais variadas formas: procissões, encenações teatrais, shows de fogos de artifício e, claro, missas. E a região da Toscana é especialmente tomada por um sem-fim desses eventos nas ruas, igrejas e mesmo na casa dos moradores. Para acompanhar a intensa programação da Páscoa toscana, que é uma demonstração ímpar de fé e beleza inclusive nas menores cidades, uma boa opção é se hospedar no Laticastelli Country Relais, hotel estrategicamente localizado a meia hora de carro de Siena e a 1h15 de Florença, que inicia sua 10ª temporada no dia 3 de abril. Nesse período, as diárias custam a partir de € 195 para duas pessoas, incluindo café da manhã, estacionamento e impostos.

O primeiro dia da Semana Santa, 13 de abril, é ideal para os viajantes visitarem as igrejas, sobretudo nas cidades de Lucca e Arezzo, que com flores fazem uma decoração toda especial para a ocasião. Já na cidade de Castiglione di Garfagnana, a Igreja de San Michele organiza à noite a Processioni dei Crocioni (procissão da cruz), onde homens vestidos como Jesus Cristo circulam pelas ruas carregando grandes cruzes. E em Assis, na região da Úmbria, mas facilmente alcançada por quem está circulando pela Toscana, a noite de quinta-feira é marcada pela Scavigliazione, celebração, na Catedral de San Ruffino, em que uma imagem do Cristo morto é retirada da cruz. Na manhã seguinte (14 de abril, Sexta-Feira da Paixão), esse “corpo” é levado, em procissão, da catedral para a famosa e frequentadíssima Basílica de São Francisco. À noite, essa imagem de Cristo encontra a da Mãe Adorada, num percurso que mais uma vez leva milhares de pessoas às ruas de Assis.


Laticastelli Country Relais

A sexta-feira santa também rende um belo espetáculo em Grassina, a 15 minutos de Florença, que realiza a maior encenação da paixão de Cristo da Toscana, reunindo cerca de 500 figurantes. Numa tradição de mais de 300 anos, moradores vestidos como soldados, centuriões, fiéis e apóstolos, sem contar os imponentes cavalos, se revezam no desfile que corta o centro da cidade e conta a história do martírio de Cristo. Os espectadores acompanham o desenrolar da via-crúcis andando, a qual termina com a representação da crucificação no alto de um pequeno morro. A apresentação começa às 20h30 e é paga (ingressos entre € 6,50 e € 20). Em menor escala, as cidadezinhas de Chianciano Terme, Sinalunga e Montepulciano também realizam suas encenações que aludem à paixão de Cristo.

Ainda na sexta-feira, uma missa em Castiglion Fiorentino conta com a encenação da última parte da via-crúcis – a ressurreição –, justamente a parte mais aguardada da cerimônia. Nesse momento, uma estátua de Cristo “sobrevoa” a nave da igreja, enquanto as luzes do templo vão se acendendo como forma de comemorar a volta de Cristo. Na cidade de Pienza, por sua vez, um dos destaques é a procissão noturna com a estátua do Cristo morto, encabeçada por 12 fiéis encapuzados e descalços que levam tochas acessas e desfilam acompanhados de uma banda. Também à noite, a Procissão da Santa Cruz, em San Gimignano, é comandada pela Irmandade da Misericórdia, que, a partir das 20h, avança pelas ruas da cidade com seus inconfundíveis trajes.


Entrada

No domingo de Páscoa (16 de abril), os festejos ficam mais alegres, já que esse é o dia que marcaria a volta de Jesus do reino dos mortos, selando definitivamente o perdão de Deus à humanidade. Logo ao raiar do dia, em Porto Santo Stefano, junto ao Monte Argentário, ocorre a tradicional procissão do Cristo Redentor, que junta fiéis e barcos ancorados no porto, os quais ecoam sua sirene em alto e bom som para comemorar esse dia festivo. Em Prato, a Páscoa traz à baila um ritual do século 12, a Ostensione della Sacra Cintola, a apresentação do sagrado cinto de Maria, cuja apresentação é feita no púlpito da catedral local às 18h.

Mas é mesmo Florença que sedia o evento mais famoso da Páscoa da Toscana: o Brindellone, ou scoppio del carro(explosão do carro),uma das mais antigas tradições florentinas, que provavelmente remonta aos tempos da primeira cruzada e a conquista de Jerusalém.Um carro – o tal brindellone, que mais parece uma torre andante – é puxado por bois enfeitados e desfila em procissão, junto ao Fogo Sagrado, até a Piazza del Duomo, endereço da monumental catedral de Florença. Ao fim do cortejo, um fio de cobre é estendido entre o carro e o altar principal do templo e, quando a cerimônia religiosa chega ao fim, é aceso o estopim que provoca a explosão do carro tomado de fogos de artifício. O fogo representaria a purificação, ou seja, tem tudo a ver com o renascimento proposto pelo período da Páscoa.



Volterra Val Cecina Crédito: Enit


Piscina


Quem continua com fôlego e curiosidade para conhecer as festividades relacionadas à Páscoa ainda terá a segunda-feira (17 de abril) - a lunedi dell’angelo (segunda-feira do anjo), que também é feriado na Itália -, para perambular pela Toscana.

Um dos eventos mais bonitos, e antigos (remonta ao século 13), rola na cidade de Santa Maria al Monte. Dedicada à beata Diana - que segundo uma lenda teria transformado pães em flores para fazer uma doação e, depois, flores em pão para saciar a fome dos pobres –, uma procissão reúne centenas de mulheres, que descem a colina da cidade carregando flores e pães para homenagear a antiga benfeitora. Em Bibbona, a comemoração não tem nada de religiosa, mas é igualmente bacana. Lá, à tarde, ocorre a Festa del Cedro, que mescla jogos, degustações e concertos na praça. À noite, às 21h30, a atração é o Palio delle Botti, desfile em que para ganhar um prêmio, representantes dos cinco distritos do município têm de empurrar pesados barris pelas ruelas da vila de Piazza Vittoria.



Saiba mais: www.laticastelli.com

Fonte: Assessoria de Imprensa

Postado por Angela Karam - 18:51 às 03/03/2017





Leia mais sobre Hotelaria