TURISMO-SA
City Break Facebook Instagram Twitter Youtube
TURISMO E MERCADO

Alaska Air Group conclui aquisição da Virgin America e se torna a 5ª maior dos EUA



Alaska Air Group conclui aquisição da Virgin America e se torna a 5ª maior dos EUA

A partir dessa importante transação do setor da aviação norte-americana, clientes ganham voos, tarifas mais acessíveis e outros atributos que os deixarão ainda mais encantados


Crédito: Divulgação/Alaska Airlines

A Alaska Air Group Inc. anuncia a conclusão da compra da Virgin America. O acordo definitivo, assinado em abril e aprovado pelos acionistas da Virgin America em julho, unifica duas das principais companhias norte-americanas, além de oferecer uma alternativa atraente para as "Big 4" (empresas aéreas que atualmente controlam 84% do mercado doméstico).

A Alaska Airlines e a Virgin America vão passar este ano trabalhando na obtenção do certificado "Administração da Aviação Federal" (Federal Aviation Administration – FAA), que lhes concederá uma permissão para operar uma única bandeira – conferindo à irmã regional Horizon Air o direito de atuar com sua certificação separada.

"A Alaska Airlines e a Virgin America são redes diferentes, mas acreditamos que essas distinções funcionam e estamos confiantes de que nossos clientes vão concordar", afirma Brad Tilden, CEO do Alaska Airline Group. "Juntos, vamos oferecer mais voos, tarifas baixas, mais premiações e atributos para nossos clientes se encantarem, uma vez que continuamos a proporcionar uma distinta experiência de viagem. As duas podem parecer diferentes, mas nosso cliente almejado e nosso foco em colaboradores são praticamente os mesmos", conclui.

Atualmente, a Alaska Air Group conta com 1.200 voos viários para 118 destinos, cujas maiores operações partem da costa oeste norte-americana, sendo ainda responsável pela receita anual de US$ 7 bilhões ao ano. A aérea continuará a prover seu público com tarifas mais econômicas, confiança e serviços aclamados, enquanto oferece um cronograma conveniente de voos para mais locais onde seus clientes queiram voar. Em breve, os passageiros da Virgin America terão acesso a uma rede que oferecerá seis vezes mais voos que antes.

"Essa parceria é positiva para os consumidores da Califórnia, demonstrando um investimento em nosso Estado", ressalta Gavin Newson, tenente-governador da Califórnia. "Ambas as companhias contam com uma história forte e estamos ansiosos para ver o espírito inovador amplificado com suas redes de parceiras internacionais", complementa.

A combinação expande sua gama de serviços e oferta mais conexões para parceiras internacionais em mercados de tecnologia mais prósperos, como a Bay Area, Los Angeles e Seattle. Juntas, as aéreas oferecerão 289 voos diários para 52 destinos com saída da Califórnia, incluindo 113 rotas diretas para 32 locais partindo dos três aeroportos da Bay Area e ainda 105 voos ininterruptos para 37 cidades, saindo de quatro aeroportos na região de Los Angeles.

Além disso, a "combinação" abre oportunidades de crescimento em mercados importantes na costa leste norte-americana ao expandir o acesso da Alaska Air Group para aeroportos com alta demanda, como o Ronald Reagan Washington National Airport e três outros na região de Nova York: John F. Kennedy International Airport, LaGuardia Airport e Newark Liberty International Airport. A companhia anunciou novos voos desde o hub em São Francisco até Orlando [diários], Minneapolis [duas vezes ao dia] e Orange County na Califórnia [quatro vezes por dia], a partir do verão de 2017.

Lideranças

A combinação será liderada pelo CEO do Alaska Air Group, Brad Tilden. Ben Minicucci atuará como Chief Executive Officer (CEO) da Virgin America, tendo também um papel de Chief Operating Officer (COO) e presidente da Alaska Airlines. Peter Hunt, anteriormente vice-presidente sênior e Chief Financial Officer (CFO) da Virgin, será o presidente da subsidiária da Virgin America, reportando-se a Minicucci. Hunt estará sediado no escritório regional da companhia em Burlingame (Califórnia). As posições de Minicucci e Hunt estão efetivas atualmente e assim permanecerão até que as companhias obtenham um único certificado FAA, aguardado para o começo de 2018.

Saiba mais: www.alaskaair.com.

Fonte: Assessoria de Imprensa 


Postado por - às 13:33





Leia mais sobre Turismo e Mercado - Página inicial