×
DESTINOS NACIONAIS DESTINOS INTERNACIONAIS CITY BREAK TURISMO E MERCADO FEIRAS EVENTOS HOTELARIA GASTRONOMIA DICAS NEWS BY PR NEWSWIRE ÚLTIMAS NOTÍCIAS PARCEIROS SERVIÇOS QUEM SOMOS - EQUIPE CONTATO
     

Whats Instagram Instagram Facebook
×
ENCONTRE SUA NOTÍCIA

TURISMO-SA - Angela Karam
City Break Facebook Instagram Twitter Youtube
TURISMO E MERCADO

5 perguntas incomuns sobre aviação



KLM

1 - Por que alguns aviões têm a ponta do final da asa dobrada para cima?

Essas pontas verticais são chamadas de winglets. As extensões verticais nas pontas das asas garantem que as aeronaves voem com mais eficiência. O winglet reduz a turbulência do ar perto da ponta da asa. Como isso foi descoberto? Observando de perto os pássaros! Eles são especialistas em voos eficientes, o que significa que eles podem nos ensinar muitas lições. Curiosidade: os winglets de um Airbus A330 têm 2,5 metros de altura!

2 - Haverá aeronaves elétricas no futuro?

Os carros elétricos estão em toda parte hoje em dia. Em terra, a inovação neste campo está ocorrendo rapidamente, mas a propulsão elétrica para aeronaves não está se desenvolvendo tão rapidamente. É difícil encontrar uma estação de recarga a uma altitude de 10 quilômetros. Mesmo assim, há aeronaves operando com eletricidade. A KLM acompanha as pesquisas para tornar essas aeronaves uma realidade viável. No futuro (distante), provavelmente haverá aeronaves comerciais híbridas voando pelo ar, possivelmente até aeronaves movidas a energia solar.

3 - Um avião precisa de uma chave para dar a partida?

Você pode imaginar isso? Pilotos chegando ao centro da tripulação e abrindo um grande armário cheio de chaves. Quando chegam ao cockpit, colocam a chave na ignição e disparam o pássaro! Infelizmente, não é assim. Também não há uma chave para abrir a porta do avião. A aeronave é iniciada pressionando todos os tipos de botões no cockpit do avião. No entanto, as aeronaves têm uma buzina, como um carro, e é muito alta! No solo, é usada para avisar à equipe de engenharia que a manutenção está ocorrendo ao redor do avião.

4 - Por que as aeronaves da KLM têm nomes?

A KLM é uma das poucas companhias aéreas que nomeia seus aviões. Embora os motivos exatos tenham se perdido no tempo, o primeiro avião da KLM tinha um apelido baseado em seu registro: DD, Dikke Dirk ("Dirk o Gordo"). A KLM seleciona um tema específico para cada tipo de aeronave. Os Dreamliners da KLM, por exemplo, têm nomes de flores – Girassol, Jasmim, Lavanda e Lírio – que são típicos produtos de exportação holandeses. Nossos 747 são nomeados de acordo com as principais cidades do mundo, principalmente porque operam voos de longa distância. Nossos 737 são nomeados em homenagem aos pássaros, enquanto os nossos A330 receberam o nome de famosas praças de todo o mundo. No Brasil, a KLM opera com o B787 Dreamliner e o B777 no Rio de Janeiro, B777 em São Paulo e A330 em Fortaleza.

Airbus A330: praças

Boeing 737: pássaros

Boeing 777: patrimônios da humanidade

Boeing 747: principais cidades

Boeing 747 Cargueiros: navios da Companhia das Índias Orientais

Boeing 787-9 Dreamliners: flores

As aeronaves KLM Cityhopper não têm nomes.

5 - Nós voaremos novamente em aeronaves supersônicas?

No futuro previsível, não vamos entrar em foguetes para voar para o outro lado da Terra em menos de uma hora. No entanto, é possível tornar o voo comercial muito mais rápido. Desde o desaparecimento do Concorde, não houve aviões comerciais que fizessem voos supersônicos (acima da velocidade do som). Mas quão rápido é isso exatamente? A temperatura afeta a velocidade do som. A 20°C, o som viaja a 1.235 km/h. Isso é muito rápido, mas pode ser ainda mais rápido. Neste momento, existem modelos em construção para aeronaves hipersônicas voando a Mach 5 – 5 vezes a velocidade do som. Ainda há alguns problemas para resolver antes que esses planos se tornem realidade. Por exemplo, como abordar a questão do boom sônico? Afinal, você não quer derramar seu café da manhã toda vez que um avião passar pela barreira do som.

Foto: Divulgação

Postado por Camila Karam - 00:01 às 31/12/2018

Tópicos: Aviação - Mercado - Dicas - KLM



Leia mais sobre Turismo e Mercado